sábado, 12 de novembro de 2011

Primavera perdida


De alguma forma não vejo mais a primavera. De alguma forma aquele leve gosto de satisfação ao te ver sorrir não existe mais. De certa forma acho que vivi um sonho ou um pesadelo. Tudo foi tão rápido e tão dolorido que não sei nem escolher as palavras certas... Eu realmente não entendo como uma pessoa pode fazer de tudo por alguém e simplesmente esse alguém não se importar ou então jogar tudo no mar do esquecimento. Não me desce ver que você não é mais aquela pessoa que um dia enxugou minhas lágrimas e disse que para sempre estaria ao meu lado. Sei que um dia eu escrevi seu nome no céu e na areia da praia. Eu fazia uma epifania ao ler o seu nome em uma folha de caderno. Viajava no seu olhar  e escrevia poesias ao te beijar. Passava madrugadas sorrindo porque sabia que você estava comigo. Mas você me provocou uma decepção tão desenfreada, tão colossal que hoje eu queria arrancar meu coração com minhas próprias mãos e jogá-lo fora, porque eu sinto como se você estivesse tatuado nele - e isso me sufoca. Hoje eu preferia não ter pensado que vivi um romance com você. Preferiria não ter escrito todas aquelas frases em nome do nosso amor. Hoje eu desejo não ter te conhecido. Queria voltar no tempo e poder não cruzar o seu caminho. Mas infelizmente o destino nos uniu... E você me feriu como nunca pensei que alguém poderia ferir. Você me fez sentir uma dor que não pensava que existia. Fez questão que eu provasse cada lágrima amarga, enquanto você me via e ouvia jogá-las fora, por sua causa.
Pra mim não existe mais primavera. Pra mim não existe mais flores nem um luar apaixonado. Você simplesmente roubou meus sonhos e transformou quase dois anos em pesadelo. Mas eu sempre escrevi que depois de um grande temporal há sempre um arco-íris. E depois da primareva há sempre uma nova estação. E como o mundo dá voltas essa estação virá cheia de brilho, calor, cor e novos sorrisos. Aqueles sorrisos que a primavera me roubou. Aquela alegria que você arrancou de mim só porque eu decidi e apesar de tudo quis te amar como jamais amei alguém. Pena que você não valorizou a primavera... Porque agora, se depender de mim, ela nunca vai voltar a te encontrar. Eu jamais voltarei a levar novas flores e urzes para ter a satisfação de te ver sorrir mais uma vez...

4 comentários:

  1. Olá, estou passando aqui para divulgar meu blog:
    http://xxx-memories-xxx.blogspot.com/
    Se gostar de lá e quiser seguir..

    Obrigada pela atenção.
    Beijos (:

    ResponderExcluir
  2. Lindo como todos os textos aqui do seu blog. *-*

    ResponderExcluir
  3. meus olhos se encherão de lagrimas lendo seu texto .. eu acho triste ler sobre desilusões amarosas.. eu imagino toda a cena, todo o amor ... e depois imagino tudo isso sendo quebrado e jogado ao nada, e eu sei, é uma dor terrivel, mas passa , ainda bem que o tempo ajuda a passar .. mesmo que demore , um dia essa dor passa . Lindo seu blog, estou seguindo ...

    ResponderExcluir
  4. Espero que esse seja apenas mais um de seus lindos textos, Káah...
    Porque a tristeza que encontro nas linhas dele, fazem meu coração se apertar.
    A primavera já vem, e vem com flores naturais, viu? E não com essas superficiais, que só fazem entristecer o peito.
    Saudades daqui tbm, desculpa o sumiço, viu?
    Bjoo..♥

    ResponderExcluir