segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

Perseverança


Já faz 11 anos, mas eu me lembro bem daquelas manhãs de céu azul clarinho, brisa fresca com frutas no pé da árvore da casa do meu vizinho.
Ele nunca me via, mas, eu o via todos os dias. Porque ele era meu exemplo, ele foi e será sempre minha inspiração.
Seis horas da manhã e eu já sabia o que fazer quando acordava. Tomava meu café da manhã, pegava um banquinho e olhava pelo muro do meu visinho. Ele como sempre estava lá.
Era um senhor, de cabelos brancos, mãos envelhecidas que denunciavam o trabalho, pele com rugas feitas pelos anos, óculos que os auxiliavam a não desistir e olhos cheios de esperança.
Ele sentava sob uma figueira e sobre uma mesa improvisada. Era sempre a mesma visão: Vários livros sobre a mesa, um pote com vários lápis e canetas, muitas folhas de papel e a perseverança que pairava sobre ele. Eu ainda era pequena, não tinha entendimento de muitas coisas, mas, a onda de esperança daquele senhor me contagiou. Aquela vontade de vencer me marcou.
E hoje sentada sob uma figueira lembro-me daquele senhor. Não sei se ele ainda é vivo. Já se passam tantos anos... Mas olho para o céu e peço com fé que ele tenha conseguido realizar o seu sonho.
Eu lembro que ele estudava sem escrúpulos. Seis da matina em ponto ele estava lá sobre os livros. Seis da matina eu estava lá com os olhos a brilhar vendo aquele lindo senhor e seu aroma exalando perseverança. Ele me ensinou que o tempo pode passar. Tudo pode mudar! Os amigos podem ir. Ninguém vai restar, mas, não devo desistir! Por mais que pareça difícil, por mais que pareça impossível, por mais que a queda doa... Não devo desistir.
Devo estar lá sob a figueira às seis da manhã, olhando o céu pintado de azul clarinho, com livros sobre a mesa e exalando perseverança. Porque quem não tenta nunca tem chance de conseguir e quem desiste nunca vence. Pode demorar o tempo que for. Os fios brancos do cabelo podem vir, as mãos podem enrugar, a pele pode denunciar o tempo de luta, mas os olhos vão permanecer na esperança. E são esses olhos que vão ver a vitória chegar por trás daquela velha figueira, que o vento levou, e fez nascer várias proezas.

- Selinho

10 comentários:

  1. Oi linda! Passando aqui para agradecer o carinho de sempre lá em "Meis Devaneios". Aqui é tudo tão intenso!Quero sempre vir aqui e 'sentir o transcendente.'
    Beijos Gigantes!

    ResponderExcluir
  2. Que lindo Kaline, parabéns pelo texto.
    Concordo com a Marilia por aqui tudo é sempre tao lindo e intenso.

    Tenha uma linda semana flor!
    Bjs & abraços!

    ResponderExcluir
  3. Ah minha querida obrigada pelo selinho!
    Adorei o mimo!

    Obrigada pelo carinho! *-*
    Bjss

    ResponderExcluir
  4. Que história Kaali, eu achei encantadora!
    Temos que perseverar até o fim, e veremos que não tem fim, a conquista é diária!

    ResponderExcluir
  5. Texto lindo, trenzim!
    Amei!

    Bjim.

    @ChrisRibeiro

    ResponderExcluir
  6. Oi Kaline...suas palavras são d euma delicadesa..suprema!

    Muito belo o texto, vem me visitar também!!!

    Beijos

    ResponderExcluir
  7. E de novo e de novo vc teima. Vc escreve melhor!! e não discuta! eu sei oq eu digo !!

    ResponderExcluir
  8. Kaah obrigada pela vista!
    Tenha uma linda tarde!

    Bjss & abraços!

    ResponderExcluir